A arte da colagem é muitas vezes vista de forma preconceituosa como uma arte menor, um universo no qual, para alguns, pouca coisa pode ser inventada. O trabalho plástico de Bel Miller mostra que sempre existem novas possibilidades de se lidar com os recursos visuais.
Para isso, dois requisitos são essenciais: rigor técnico e coragem de ousar. A artista reúne ambos, em doses semelhantes. No que tange ao primeiro, existe um acabamento primoroso de cada peça e uma preocupação com a sua resistência ao tempo, de modo a que o colecionador tenha a durabilidade de cada peça assegurada.
O assunto que permeia os trabalhos é a mulher. E ela aparece das mais diversas formas dentro de um princípio que mescla raças, referências a quadros célebres da história da arte e justaposições que provêm de um imaginário no qual o importante está, em igual parâmetro, naquilo que se diz e na maneira de expressar esse conteúdo visual.
A colagem de Bel Miller é mesclada com a pintura por um processo de seleções. A escolha das imagens a serem postas nas telas, as suas combinações e a criação de fundos e camadas com uma técnica de pintura aprimorada ao longo do tempo dão a exposição da artista um apuro e um impacto visual onde o belo e o delicado se aliam.

OSCAR D´AMBROSIO
Mestre em Artes Visuais pela Instituto de Artes da Unesp.
Integra a Associação Internacional de Críticos de Arte.